Carga trata-se de um filme de extrema importância e deve ser visto pelo maior número de pessoas.

Carga (2018)

Carga trata-se de um filme de extrema importância e deve ser visto pelo maior número de pessoas.

Português de Bruno Gascon, com Michalina Olszanska, Vítor Norte, Rita Blanco, Sara Sampaio, Miguel Borges, Dmitry Bogomolov, Duarte Grilo e Ana Cristina de Oliveira

Não marca, mas certamente que está acima de alguns nomes já lançados este ano no cinema português.

Bad Investigate (2018)

Não marca, mas certamente que está acima de alguns nomes já lançados este ano no cinema português.

Português de Luis Ismael, com Francisco Menezes, Luis Ismael, Enrique Arce, Eric da Silva, J.D. Duarte e João Pires

Solo desafia a linha entre o certo e o errado, focando-se na falta de humildade e falta de empatia para com aqueles que nos rodeiam.

Solo (2018)

Solo desafia a linha entre o certo e o errado, focando-se na falta de humildade e falta de empatia para com aqueles que nos rodeiam.

Português de Pedro Horta, com Diogo Simão, Mário Spencer, Sara Mendes Vicente, Pedro Palmela e Karen Rodrigues.

É ousado e não visto muitas vezes em Portugal, mas tem um elenco desnecessário, momentos caídos do céu e uma história confusa e incoerente.

Linhas de Sangue (2018)

É ousado e não visto muitas vezes em Portugal, mas tem um elenco desnecessário, momentos caídos do céu e uma história confusa e incoerente.

Português de Sérgio Graciano e Manuel Pureza, com José Raposo, Gabriela Barros, Catarina Furtado, José Fidalgo, José Mata, Marina Mota e Dinarte Branco.

As atuações em filmes portugueses mais recentes não me têm impressionado, mas Coisa Ruim é um passo na direção certa.

Coisa Ruim (2006)

As atuações em filmes portugueses mais recentes não me têm impressionado, mas Coisa Ruim é um passo na direção certa.

Português de Tiago Guedes e Frederico Serra, com Adriano Luz, Manuela Couto, Sara Carinhas e Afonso Pimentel

Marco Horácio chega mesmo a dizer “Epá… Fraquinho… Muito fraquinho mesmo. As pessoas nem bateram palmas…”.

Malapata (2017)

Marco Horácio chega mesmo a dizer “Epá… Fraquinho… Muito fraquinho mesmo. As pessoas nem bateram palmas…”.

Português de Diogo Morgado, com Rui Unas, Marco Horácio, Luís de Matos, Diogo Morgado, Manuel Marques, Luciana Abreu e Ana Malhoa

Tendo em conta a dimensão do cinema português, é um filme que me surpreende – e pela positiva.

Soldado Milhões (2018)

Tendo em conta a dimensão do cinema português, é um filme que me surpreende – e pela positiva.

Português de Gonçalo Galvão Teles e Jorge Paixão da Costa, com João Arrais, Lúcia Moniz, Graciano Dias, António Pedro Cerdeira, Raimundo Cosme e Tiago Teotónio Pereira

Com um argumento destes e excelentes atores, o realizador até parece que teve o seu trabalho simplificado.

Refrigerantes e Canções de Amor (2016)

Com um argumento destes e excelentes atores, o realizador até parece que teve o seu trabalho simplificado.

Português de Luís Galvão Teles, com Ivo Canelas, João Tempera, Lúcia Moniz, Victória Guerra, Jorge Palma, Ruy de Carvalho e Marco Delgado

O filme vive da presença do seu protagonista, quase como se de um documentário se tratasse.

São Jorge (2016)

O filme vive da presença do seu protagonista, quase como se de um documentário se tratasse.

Português de Marco Martins, com Nuno Lopes, Mariana Nunes, David Semedo, José Raposo, Jean-Pierre Martins e Ricardo Fernandes

O filme tem um ritmo demasiado lento e não sabe quando introduzir os momentos-chave.

Perdidos (2017)

O filme tem um ritmo demasiado lento e não sabe quando introduzir os momentos-chave.

Português de Sérgio Graciano, com Dânia Neto, Afonso Pimentel, Dalila Carmo, Lourenço Ortigão, Diogo Amaral e Catarina Gouveia