Inscreve-te e tem vantagens!

Baby Driver(2017)

Há 2 anos | Ação, Crime | 1h53min

de Edgar Wright, com Ansel Elgort, Jon Bernthal, Kevin Spacey, Jamie Foxx, Jon Hamm e Eiza González


Baby Driver é um filme de 2017, que estreou em Portugal no passado dia 3 de Agosto. Baby Driver conta-nos a história de Baby (Ansel Elgort), um jovem que trabalha para o Doc (Kevin Spacey), como condutor de fugas para as diferentes equipas de assalto do seu patrão. Baby é, por si, uma personagem que cativa os adolescentes, com o seu ar cool, (quase) sempre com fones de ouvido para combater o seu zumbido (e para se alienar do mundo). Não só isso, Baby é o condutor que todos os jovens gostariam de ser, trata o carro como se de um brinquedo se tratasse e trata manobras de dificílima execução, que requereriam máxima atenção de condutores experientes, como se fossem simples, como que um jogo.

Engane-se, contudo, quem pensa que o filme é bom só porque tem esta personagem ou por ter o Kevin Spacey (que, como sabem, adoro de House of Cards – sou só eu que noto um pouco de Frank no Doc?). O filme é bom por isso, mas não só por isso. Por exemplo, visualmente crédito total para o realizador Edgar Wright e a sua equipa: desde iluminação bastante boa a cenas rápidas, mas detalhadas (aliás, todo o filme decorre a um ritmo rápido), a pequenos momentos de transições engraçadas, como quando o Baby entra numa pizzaria e sai pelos fundos já vestido. Sonoramente, para um filme que usa tanto a banda sonora, há que ressalvar este capítulo, que, pessoalmente, me agrada bastante. Uma banda sonora que se enquadra perfeitamente com a premissa do filme.

 

O filme apresenta momentos de comédia, como quando Baby substitui as peças da sua imagem de marca (óculos e fones) após lhe serem retiradas, ou quando Bats (Jamie Fox) decide falar. Mas, mais do que isso, Baby Driver apresenta um drama interessante, não sendo o típico filme de tiros e assaltos. Baby não concorda propriamente com o que faz (explicado posteriormente porque o faz) e, não raras vezes, encontra-se dividido no curso de ação a tomar. Para complicar, encontra o que toda a gente espera (mesmo que não saiba), fazendo repensar as suas ações. Falo, claro, de Debora (Lily James), por quem Baby se apaixona. É uma história bem contada e com um final que satisfaz.

 

Em suma, é um filme que recomendo, sendo que não vai desapontar o típico amante de cinema, nem aqueles que gostam de filmes pesados, como os do Nolan. Baby Driver agrada a todos por conciliar uma boa história com um ritmo acelerado e com personagens cool.



Alex Duarte
Outros críticos:
 Bernardo Freire:   8
 Pedro Freitas:   8
 Pedro Horta:   8
 Sara Ló:   8
 Rafael Félix:   8
 Pedro Quintão:   9
 Alexandre Costa:   8
 Margarida Nabais:   8
 Filipe Lourenço:   8
 Raquel Lopes:   8