Uma série que vale a pena a sua contemplação – pela realização, pelo seu universo, pela atuação de Jim Carrey e pelas mensagens que nos transmite.

Uma série que vale a pena a sua contemplação – pela realização, pelo seu universo, pela atuação de Jim Carrey e pelas mensagens que nos transmite.

2018
Comédia, Drama | 30min
de Dave Holstein e realização de Michel Gondry, com Jim Carrey, Frank Langella, Catherine Keener, Judy Greer, Cole Allen e Juliet Morris


A dupla Michel Gondry e Jim Carrey regressa, 14 anos após a obra de arte: Eternal Sunshine of the Spotless Mind (2004). É uma dupla fascinante, que produz um estilo cinematográfico único e fascinante. Uma mistura de drama e comédia – e garantidamente uma realização perfeita e um grande Jim Carrey.

Kidding é uma série composta de 10 episódios de 30 min, distribuída pela Showtime Networks.

O que nos conta esta série?

Jeff Pickles (Jim Carrey) é um famoso apresentador de um programa infantil conhecido de todos, em todo o mundo. Jeff é Mr. Pickles e permanece como um verdadeiro ícone da tela televisiva. Confrontado por uma recente tragédia, que causou a separação e o caos na sua família, Jeff começa a ter sintomas de uma profunda depressão. A magia dos contos de fadas e as marionetas do seu programa não lhe conseguem tirar os maus pensamentos. O mundo não é um programa para crianças, é um lugar sinistro que pode vir a ser cruel – mesmo para uma pessoa tão pura, generosa e de uma bondade divina com todos. Jeff está perdido na sua mente.

Que obra! Kidding é uma série que me fez refletir sobre o mundo e a sua existência. Quanto mais damos e somos gentis – menos somos valorizados e temos sorte. É uma dura realidade. É rica nas transmissões das suas mensagens. Alterna corretamente entre a depressão e a comédia negra, permanecendo acima de um mero drama.

Seguimos Jeff, que é um verdadeiro herói para todas as crianças do mundo e um exemplo para todos. Sabe dar conselhos, ouvir, ser bondoso – menos para a sua família. Heis a lacuna do protagonista. Ele não sabe ouvir os seus filhos, ser um bom pai ou gerir uma tragédia. O seu casamento vê-se em risco. É chocante a performance de Jim Carrey – a personagem foi escrita para ele. Não tinha visto Carrey tão emocionante há anos. Estamos de regresso às suas atuações em Eternal Sunshine of the Spotless Mind (2004) e The Truman Show (1998). Tem todas as suas chances na próxima cerimónia dos Golden Globes.

A melhor maneira de abordar temas fortes, é usar o humor. Serão servidos. As mensagens passam através de fortes gargalhadas. A comédia está bem escrita, é dura, irreal e negra. Vemos jovens que dizem fortes palavrões, ingerem drogas e álcool, e ainda cenas de sexo com as personagens adultas – sempre num contexto sarcástico e de forte humor.

A série não precisa de diversos episódios para desenvolver as suas personagens – bastam minutos. No piloto, sabemos exatamente como cada personagem é, e reage. O pai de Jeff, Sebastian (Frank Langella) é o produtor do programa. É um homem capaz de tudo para o sucesso – até de sacrificar o seu filho, que está em plena depressão. A irmã de Jeff, Deirdre (Catherine Keener) é a criadora das marionetas, e também irá ter um desenvolvimento narrativo interessante.

Não vou revelar sobre a tragédia que percorre a família Pickles, nem abordar os diversos problemas que lhes ocorrem. É algo a descobrir por si mesmo.

A realização de Michel Gondry é fenomenal. Visualmente há uma personalidade e um estilo marcante. Irão encontrar um plano-sequência que vos fará pensar: “Meu Deus! Como é que fizeram isso?!”. Para os fãs de audiovisuais e para quem está na área – convido-vos a ver no YouTube: plano sequência sem cortes e efeitos de Kidding.

É uma série que vale a pena a sua contemplação – pela realização, pelo seu universo, pela atuação de Jim Carrey e sobretudo, pelas mensagens que nos transmite. São episódios curtos, passam do drama à comédia em meros segundos. Gargalhadas garantidas e humor negro presente!

Foi confirmada uma segunda temporada, e já tenho hype. Aconselho-vos a visionarem.


por Alexandre Costa