Inscreve-te e tem vantagens!

Knives Out(2019)

Há 2 meses | Comédia, Mistério, Drama, | 2h10min

De Rian Johnson, com Daniel Craig, Ana de Armas, Toni Colette, Chris Evans, Michael Shannon, Jamie Lee Curtis, Don Johnson, Christopher Plumer, LaKeith Stanfield e Katherine Langford


Se em Dezembo de 2017 fizéssemos uma sondagem de quem eram os homens mais odiados da história da humanidade, provavelmente Rian Johnson aparecesse à frente de Adolf Hitler ou qualquer outro assassino de bebés e cachorrinhos que anda por aí, no topo dessa lista. Não existem muitos filmes que tenham sido tão divisivos nos últimos anos, especialmente se estivermos a falar de blockbusters, como Star Wars: The Last Jedi (2017).

Pode-se gostar do filme ou não, e dizer que Johnson basicamente dizimou o franchise (o que eu não concordo, mas não é isso que vamos aqui discutir), no entanto sempre me incomodou pôr-se em causa as suas capacidades como realizador. Tanto Looper (2012) e especialmente Brick, são filmes muito bem escritos, com o seu quê de original, e excelentemente realizados. Portanto garantidamente não será porque Rian Johnson não deu aos milhões de fanboys e manchilds aquilo que eles queriam ou projetavam para a série, que de repente ele agora é um péssimo cineasta.

Dito isto, e num passo seguinte bastante interessante para a sua carreira, voltou ao básico. Um simples murder mistery, Cluedo style. O velho milionário Harlan Thrombey (Christopher Plummer) é encontrado morto na sua mansão. Cabe a Benoit Blanc (Daniel Craig) desvendar a verdade por detrás desta morte. Toda a família é suspeita, cada membro tem o seu segredo e representa uma pequena peça do puzzle, sendo que a peça principal é Marta Cabrera (Ana de Armas), a enfermeira de Harlan, sua única amiga, e também a única alma bondosa na mansão, que de certa forma, é a chave para resolver tudo isto.

De certa forma, Knives Out não podia ser mais aquilo que é. É uma caricatura de um murder mistery, e é por isso que funciona tão bem. Rian Johnson sabe, como qualquer pessoa que já tenha jogado Cluedo, visto 56 temporadas de CSI ou tenha adormecido durante um episódio de Poirot na RTP Memória, quais são os milhentos clichés do género e o quão enfadonhos conseguem ser. Por estas coisas é que, por norma, este tipo de história está na descartabilidade da televisão.

Sabendo isto, todas as personagens são espampanantes e cada uma incorpora um sem número de hábitos do género: a mulher rica e falsa, o marido traidor, a velha cácá, a nora sanguessuga, etc. etc. E ao centro de tudo isto está Daniel Craig, que está de corda solta e a divertir-se como nunca o tinha visto, com um sotaque carregadíssimo, um carisma de morrer e um charme inabalável.

Uma casa gigante, cheia de material histórico, sinistro e bizarro que podia ter sido tirado de um livro de Agatha Christie, que tornam todas as cenas passadas no interior imensamente mais interessantes do que qualquer outra no exterior, tanto em termos estéticos, como narrativos; uma banda sonora com cordas rápidas e estridentes que imediatamente marcam o passo de toda a trama. É todo um piscar de olho ao quase moribundo estilo de “Who done it?”, com imensas referências e miminhos para os mais atentos.

Todas estes elementos funcionam em torno do guião de Rian Johnson, e se o mistério não for bom, a coisa acaba por não servir de muito, não é verdade? Mas é, pode não ser a incrível no sentido de realmente suscitar a curiosidade de saber quem cometeu o crime, mas compensa com o humor afiado e toda uma postura descontraída em que só temos de nos encostar e divertir com estes loucos que andam a passar no ecrã. Talvez não seja o ideal, mas é inegável que é praticamente impossível ver este filme e não estar de sorriso na cara.

É a sua simplicidade que torna Knives Out imensamente agradável, com as suas personagens e performances rocambolescas e todo o seu mood bem-disposto. O mistério pode não ser por aí além, mas é mais do que competente, embelezado (mais uma vez) pela excelente realização de um dos homens mais odiados por homens brancos e obesos com neck beard e T-shirt sebenta de Star Wars.


Rafael Félix
Outros críticos:
 Alexandre Costa:   8
 Pedro Horta:   8