Inscreve-te e tem vantagens!

Just Mercy(2019)

Há 10 dias | Drama, | 2h16min

de Destin Daniel Cretton, com Michael B. Jordan, Jamie Foxx, Brie Larson, Rafe Spall, Rob Morgan e Tim Blake Nelson


Após Short Term 12 (2013), Destin Daniel Cretton regressa em Just Mercy num tema que lhe é familiar: as falhas do sistema americano, as injustiças sociais e a discriminação racial. Baseado numa história verídica, é com o trio Michael B. Jordan, Jamie Foxx e Brie Larson que o filme tem ganho alguma popularidade.

O que nos conta o filme?

A luta histórica do jovem advogado Bryan Stevenson (Michael B. Jordan) após ter estudado na Universidade de Harvard. Jovem brilhante, Stevenson podia ter progredido numa carreira mais lucrativa, contudo, decide ir para Alabama defender aqueles que foram condenados indevidamente, com o apoio de uma ativista local, Eva Ansley (Brie Larson). O seu primeiro grande caso – o mais conhecido - foi o de Walter McMillian (Jamie Foxx), que em 1987 foi condenado à morte pelo assassinato de uma miúda de 18 anos. Apesar das evidências demonstrarem claramente a sua inocência, houve alguém que testemunhou contra ele, condenando-o. O jovem advogado vê-se envolvido numa corrida contra o relógio, enfrentando um sistema corrompido pelo racismo.

O realizador conseguiu, mais uma vez, demonstrar as falhas do sistema judicial americano corrompido pelo racismo com um incrível realismo para a tela. Walter, injustamente condenado à morte, vê a sua única esperança de sobrevivência nos ombros de um jovem advogado. E nós, espetadores, também vamos seguir a narrativa assim. Sentimos o que o Walter está a sentir na prisão e sentimos o que Bryan está a fazer para salvar este inocente da morte iminente.

Embora cliché e possuidor de um tema tratado várias vezes no cinema, a subtil realização e o ritmo hipnótico do filme, agarra-nos do início ao final com muita facilidade. Deve-se bastante ao seu argumento que é extremamente bem escrito – com diálogos maravilhosos.

Chegamos à conclusão que nenhuma pena de morte deveria ser atribuída enquanto não houver 100% a certeza das provas. Sentimos um profundo desgosto e uma vergonha alheira pela forma como a justiça americana é governada. Fiquei comovido por todos os inocentes que morreram injustamente, sem terem a hipótese de se defenderem. Just Mercy faz-nos passar da emoção à raiva em meros segundos. É com talento que o filme se humaniza o máximo possível, para retirarmos conclusões reais.

O elenco completa o resto do excelente trabalho. Começando pelo Michael B. Jordan em Bryan Stevenson, o ator entrega a sua melhor performance de sempre. Após Creed (2015) e Black Panther (2018) é mais um passo certeiro na sua carreira. Faz-nos rir, chorar, acreditar e desesperar. Jordan é dos atores a não largar no futuro. Jamie Foxx entrega todo um misto de emoções no seu papel de Walter McMillian. Um negro de classes baixas, que é injustamente condenado à morte – apenas porque a sua cara não inspirou confiança ao Xerife. A cena “do barulho” na prisão fez-me arrepiar. Brie Larson regressa após todo o hate que recebeu em Captain Marvel (2019) e entrega uma atuação interessante como braço direito do protagonista.

Para concluir, Just Mercy é um intenso momento de cinema, rico em emoções, sendo impossível ficar indiferente aos seus acontecimentos. Varia entre cenas belíssimas e perturbadoras, tem twists inesperados e performances espetaculares. Se gostaram de The Green Mile (1999) isto é para vocês.


Alexandre Costa
Outros críticos:
Nenhum autor votou nesta crítica.