Inscreve-te e tem vantagens!

Groundhog Day (1993)

Há 11 meses | Comédia, Fantasia, Romance, | 1h41min

de Harold Ramis, com Bill Murray, Andie MacDowel, Chris Elliot, Stephen Tobolowsky e Marita Geraghty


O sucesso de um filme é por vezes originado pela sua maneira de transformar a perceção de um lugar, objeto ou pessoa. Aqui, é caso de uma música: I got you babe de Sonny and Cher – que não podemos ouvir sem rir, é-nos impossível. A música serve como introdução ao pesadelo do pobre Phil.

Como poderão perceber, hoje trago-vos um filme que me foi aconselhado pelo meu colega Rui – Groundhog Day – um clássico da comédia.

O que nos conta o filme?

Phil Connors (Bill Murray) é um arrogante jornalista de televisão e gerente da meteorologia.  Como todos os anos, tem a tarefa de fazer uma reportagem na cidade de Punxsutawney, para comemorar “O Dia da Marmota”, celebrado a 2 de fevereiro, acompanhado por um cameraman (operador de câmara) Larry (Chirs Elliot) e uma bela produtora, Rita (Andie MacDowel). Uma tempestade de neve impede a equipa de regressar na mesma noite, furioso, Phil vai para a cama cedo. Quando acorda de manhã, parece ser o único a reparar nas semelhanças com o dia anterior, até perceber que está de facto, condenado a reviver indefinidamente o mesmo dia, o famoso groundhog day.

Este pobre Phil Connors está constantemente a viver o mesmo dia, e irá passar por todas as possibilidades imagináveis. Harold Ramis coloca-nos em frente da nossa condição humana – a nossa vida é apenas uma sucessão de más escolhas que nunca podemos desfazer e que nos fazem perder o ponto. Phil tem a oportunidade de repetir o mesmo dia e consequentemente construir o resto da sua vida no espaço de centenas de dias que permanecerão suspensos no tempo. Enquanto nós, meros mortais, deixamos as nossas vidas passar sem ter consciência de todas essas possibilidades.

Groundhog Day tem grandes momentos de comédia, é inegável o seu argumento e absolutamente audacioso – porque estranhamente realista. Nós nunca sabemos como, ou, porque é que o Phil está preso nesse dia em específico. A escrita da longa-metragem foca-se nas ações do protagonista e não nos importamos com o resto…

Quem nunca quis voltar ao passado e mudar algo na vida? A imortalidade de Phil também se tornará o seu maior fardo – com o medo de se encontrar desesperadamente sozinho, até ao fim do tempo.

Bill Murray tem uma grande performance, está aqui no auge do seu talento. A personagem de Phil é antipática, rude, convencida e faz-nos passar por todos os estados emocionais possíveis. Ao viver todos os dias o mesmo – consequentemente um loop, a comédia perante a personagem é garantida. A metamorfose gradual de Phil é simplesmente agradável.

A química entre Murray e Andie McDoweel é perfeita e deliciosa. Garanto que é impossível não sorrir sempre que os atores estão juntos em tela.

Groundhog Day é um filme que me fez genuinamente rir e que leva a audiência a discutir longamente sobre o seu visionamento. 

Se nunca tiveram a oportunidade de ver esta pérola da comédia, joguem-se sem pensar. Passarão um excelente momento pela sua frescura e simplicidade. É uma comédia clássica dos anos ‘90 que inspirou centenas de filmes a reproduzir o mesmo tema.


Alexandre Costa
Outros críticos:
 Rui Lourenço:   9
 Pedro Quintão:   8
 Sara Ló:   8
 Filipe Lourenço:   8