Se há algo que este filme reforça é que há feridas que nunca saram por completo e erros pequenos poderão ter consequências inimagináveis.

Se há algo que este filme reforça é que há feridas que nunca saram por completo e erros pequenos poderão ter consequências inimagináveis.

2016
Drama | 2h17min
de Kenneth Lonergan, com Casey Affleck, Michelle Williams, Kyle Chandler, CJ Wilson, Mary Mallen


Manchester by the Sea é um dos nove filmes candidato a Óscar de Melhor Filme. Dirigido e escrito por Kenneth Lonergan, este filme estreia Matt Damon como produtor executivo. Com Casey Affleck como protagonista, este filme revela-nos um drama de família, bastante realista e duro. Kenneth Lonergan é, aliás, conhecido por fazer filmes pesados e trágicos, sem soluções hollywoodianas ou saídas fáceis (um pouco como na vida real, não é mesmo?).




Lee Chandler (Casey Affleck) vive em Boston, isolado. A sua vida dá uma grande reviravolta quando tem de regressar à sua cidade natal para cuidar do seu sobrinho, que ficou recentemente órfão. Patrick (Lucas Hedges) não quer regressar com o seu tio para Boston, preferindo ficar em Manchester, onde tem a sua vida (estuda no secundário, é mulherengo e desportista). Acontece que o tio, cujo passado é revelado na forma de flashbacks, não quer ficar em Manchester. Pessoalmente, adorei a forma como foram seguidas as movimentações de Lee Chandler. Se o filme se passa no Inverno, o que é o caso, não haverá inverno mais frio que o coração de Lee. Se há algo que este filme reforça é que há feridas que nunca saram por completo e erros pequenos poderão ter consequências inimagináveis. A conclusão é devastadora e torna o filme uma verdadeira obra-de-arte. A história, que é enganosamente simples, é poderosa e para isso terá contribuído, certamente, a frieza de Lonergan, desde o princípio até ao último minuto de filme. Além de Casey Affleck, o filme conta ainda com bons atores, caso de Michelle Williams, Matthew Broderick e Gretchen Mol.

 

Casey oferece-nos uma atuação praticamente irrepreensível ao dar vida a Lee Chandler, um homem com problemas. Affleck interpreta as cenas emocionais com distinção e oferece ao espectador uma sensação de pena e empatia para com o personagem. Por isto, acredito que Casey leve a estatueta de Melhor Ator e o filme o de Melhor Argumento Original. Caso se confirme, serão muito bem entregues e, como é óbvio, recomendo este filme.

 

É um dos melhores de 2016, que merece ser assistido, não obstante o ambiente pesado. Ainda bem que, de vez em quando, saem filmes como este. Verdadeiras obras cinematográficas.


por Alex Duarte