Inscreve-te e tem vantagens!

Reservoir Dogs(1992)

Há 7 meses | Crime, Drama, Thriller, | 1h39min

de Quentin Tarantino, com Harvey Keitel, Tim Roth, Michael Madsen, Steve Buscemi, Edward Bunker e Quentin Tarantino.


Bem, não consigo esperar até ao final da crítica para vos dizer que sim, Reservoir Dogs faz parte dos meus filmes favoritos de sempre, e que sim, Quentin Tarantino é o realizador que mais me dá vontade de seguir a 7ª Arte. Se tiverem oportunidade, leiam a minha crítica a Django Unchained (2012) que resume mais quem é este cineasta.

Tarantino leva 7 minutos e 40 segundos para demonstrar ao mundo o seu estilo e a sua marca no cinema. Um grupo de homens sentados à mesa, um diálogo extremamente longo sobre a Madonna e a sua música Like a Virgin, uma oposição relevante de ideias acerca de dar gorjetas aos empregados, o constante uso do calão para alimentar as falas e uma violência latente a marcar presença. Posto isto na mesa, a primeira longa-metragem de Tarantino desfila sem parar.

O que nos conta o filme?

Um grupo de gangsters racistas, sexistas, homofóbicos e cromos têm um assalto previsto “perfeitamente planeado”. Após o assalto, o inevitável acontece, a polícia prossegue-os. Convencidos que o plano era superior à divindade de Deus, cada elemento do grupo evoca a presença de uma toupeira infiltrada. Quem será? Mr. White? (Harvey Keitel), Mr. Orange? (Tim Roth), Mr. Blonde? (Michael Madsen), Mr. Pink? (Steve Buscemi), Mr. Blue? (Edward Bunker) ou Mr. Brown? (Quentin Tarantino).

É na narrativa que Tarantino demonstra toda a sua genialidade. Podia ter sido apenas mais um filme sobre um assalto. Mas estamos a anos-luz desse facto. O argumento não-linear foca-se nas consequências de um plano mal elaborado e na preparação do mesmo. Os protagonistas passam 2/3 do filme a tentar descobrir a identidade da toupeira que possivelmente está no grupo. Os flashbacks espalhados pela longa-metragem funcionam como um puzzle, cujo tenhamos de ser nós a codificar, juntamente com os personagens. Sem contar com todas as mentiras que cada elemento nos dá – diálogos à la Tarantino, fãs, já sabem como funcionam.

Tarantino tinha de marcar presença com a sua realização, pois, era um filme com pouco orçamento e recursos – maioritariamente num décor. Foi aí que o mundo pode ver o seu talento. Até a sua banda sonora é brutal – tal como nas suas futuras obras.

Com o seu argumento fabuloso, o realizador entrega ao seu elenco um mimo de interpretação. Todos os atores têm performances que marcaram a História do Cinema. “Hey, why am I Mr Pink? Because you’re faggot, alright?”.

Porque é que gosto tanto de Reservoir Dogs? Porque demonstra que tudo é possível no cinema. Não existem barreiras nem limites. Queres fazer um filme sobre um assalto e nem filmares um? Faz! Queres falar da música Like a Virgin? Fala! Queres filmar uma cena de tortura usando o som Stuck in the Middle With You? Filma! Não tens dinheiro nem oportunidade para fazer um filme em muitos décors? Cria uma história com reviravoltas que se passe só num!

Reservoir Dogs é a origem de um futuro grande senhor do cinema: Mr. Quentin Tarantino. O resto da sua história e filmografia, já devem conhecer.


Alexandre Costa
Outros críticos:
 Bernardo Freire:   9
 Margarida Nabais:   9
 Rafael Félix:   10
 Pedro Quintão:   9