Inscreve-te e tem vantagens!

The Kissing Booth(2018)

Há um ano | Comédia, Romance | 1h45min

de Vince Marcello, com Joey King, Joel Courtney, Jacob Elordi, Molly Ringwald e Jessica Sutton


Com argumento e realização de Vince Marcello, The Kissing Booth é baseado numa história escrita online num site de fanfiction por uma rapariga de 15 anos, que mais tarde veio a ser publicada em 2012 por uma editora. O livro, com o mesmo nome, de Beth Reekles, foi adaptado em filme e lançado originalmente pela Netflix.

 

The Kissing Booth, dá-nos 1h30 min de filme em que nos perguntamos em que “clássico” filme de adolescentes irá “roubar” as suas referências e com quem a protagonista irá ficar. O problema aqui não é o trabalho de uma jovem adolescente com gosto pela escrita, mas sim a produção da Netflix, uma empresa de alto gabarito, que decide lançar um filme com pouca imaginação.

 

O enredo está centrado à volta de Elle Evans (Joey King), uma estudante do secundário que nunca foi beijada e está agora a ganhar maturidade. Elle tem como melhor amigo Lee Flynn (Joel Courtney) e a sua grande amizade está enraizada pelo facto das suas mães serem melhores amigas e eles terem nascido no mesmo dia. Isso, solidificou um laço forte entre os dois. Elle e Lee têm um conjunto de regras que devem seguir de forma a manterem a sua amizade, sendo que uma delas não permite que Elle namore com o irmão mais velho de Lee, Noah Flynn (Jacob Elordi). Apesar disso, Elle não consegue impedir o seu interesse por Noah, que mantém em segredo com medo de magoar o seu melhor amigo.

When did you get the boobs?

A paixoneta de Elle por Noah, acende durante uma banca de beijos (kissing booth), numa feira organizada para a escola, para angariarem dinheiro. É nessa kissing booth que Elle e Noah se beijam pela primeira vez. O conflito interior de Elle desperta, assim que Elle e Noah começam um romance secreto – o que irá acontecer quando Lee descobrir que ela está a quebrar uma das regras sagradas da sua amizade?

 

Apesar de ser uma comédia romântica para adolescentes, que se foca em volta da atração física, The Kissing Booth tem um final surpreendentemente realista e consegue fazer com que ao longo do filme a linguagem, bem como o tom, se torne mais adulta e provocadora gradualmente.

 

O facto da relação de amizade entre Elle e Lee nunca resultar em romance deve ser elogiado, pois há poucos filmes deste género que escolhem representar uma relação platónica entre membros do sexo oposto.

 

Por norma, um enredo de baixo nível não é um problema para mim quando vejo um filme teen10 Things I Hate About You (1999), The Perks of Being a Wallflower (2012) e The Edge of Seventeen (2016) são alguns exemplos de filmes que conseguem superar o facto de terem um guião pouco estimulante. Cada um desses filmes fez questão de que qualquer conflito apresentado fosse pessoal e íntimo, ao contrário de The Kissing Both que é apenas melodramático e exagerado.

 

O ritmo do filme e a sua edição são um pouco confusos. Em múltiplas ocasiões o filme não indica quanto tempo passou entre cenas, raramente usando planos para contextualizar ou incluindo qualquer tipo de explicação para a mudança de local ou de tempo. Muitas cenas terminam sem qualquer tipo de desenvolvimento de personagens ou argumento, o que se torna frustrante rapidamente, fazendo com que todo o filme pareça uma eternidade sem a sensação de progresso.

 

Tenho perfeita noção que não sou o público-alvo para este tipo de filmes mas no geral, The Kissing Booth é um filme inofensivo para adolescentes. O enredo e as personagens não irão atrair todo o tipo de público, aliás, apela apenas a uma audiência muito seletiva (entre os 13 e os 17 anos, especialmente do sexo feminino). Este tipo de audiência vai gostar deste filme sem se importarem se a edição ou a cinematografia é boa. Por isso, independentemente dos seus defeitos em termos técnicos, tenho a certeza que muitas raparigas irão adorar e chorar por mais.

 

O meu grande problema com The Kissing Booth reside aí. Gosto de todos os géneros de filmes, mesmo que não sejam especificamente para a minha faixa etária, como animações para crianças, desde que sejam bem feitos. Um bom filme deve agradar a pessoas de qualquer faixa etária ou de qualquer estrato social. E isso não acontece em The Kissing Booth.

Ao decidirem se irão ver o filme é importante perceber que é para jovens, e se não gostam deste tipo de filmes nem vale a pena investirem o vosso tempo. Devem esperar um filme com clichés e performances um pouco desajeitadas por atores inexperientes, linhas de diálogo piegas e cenas toscas entre teenagers.


Sara Ló
Outros críticos:
 Rafaela Boita:   3