Inscreve-te e tem vantagens!

A Fall From Grace(2020)

Há 18 dias | Thriller, | 2h0min

de Tyler Perry com Crystal Fox, Phylicia Rashad, Bresha Webb, Mehcad Brooks e Cicely Tyson


A Fall From Grace. Confesso que não tinha conhecimento deste filme até ver, nas redes sociais, a maioria das pessoas a passar mal com este filme impróprio para cardíacos (explico mais à frente). E, sendo uma obra do Tyler Perry, e a primeira longa-metragem dos seus novos estúdios, as típicas características dos seus filmes não foram exceção para este. Com um cast maioritariamente afro-americano, é o primeiro trabalho do realizador distribuído pela Netflix.

Esta longa-metragem começa não da forma mais agradável. Damos de caras com uma mulher desesperada que acaba por se suicidar. Nesse momento conhecemos Jordan Bryant (Matthew Law), polícia e companheiro de Jasmine (Bresha Webb), advogada de defesa que está prestes a mudar a sua vida, com o caso que lhe cai em mãos. Diretamente delegado pelo seu chefe Rory (Tyler Perry), Jasmine conhece a sua cliente, Grace (Crystal Fox), que é acusada de matar o seu marido, Shannon (Mehcad Brooks) e, tendo admitido o seu crime, só precisaria de aceitar a negociação feita entre o tribunal e a sua advogada. Parece simples, até Jasmine levantar dúvidas quanto ao caso e começar a achar que Grace é inocente. E, nesse momento, Grace começa a contar a história como ela é, dando a conhecer toda a situação.

Bem, começo por falar da narrativa voltando ao termo que utilizei anteriormente - filme impróprio para cardíacos. Digo isto porque, a história por si só é frustrante. Acho que está tudo construído para te irritar, dizer umas quantas asneiras durante o filme, respirar fundo e continuar. E, por esse motivo, tenho de aplaudir. Confesso que achei a história muito interessante, intrigante e apelativa. Porque quando tudo parece estar resolvido, há ali um twist que te deixa muito surpreendido. Ainda assim, a história tem um final feliz para agradar a maioria das pessoas.

No entanto, o resultado final, realização, esses aspetos mais técnicos são um completo turn-off. Diz-se que esta longa-metragem foi filmada em 5 dias e, sinceramente, nota-se. Há erros que não se justificam na caracterização, há figurantes que nem o seu próprio trabalho de preencher espaço sabem fazer como deve ser e que, por isso, destacam-se. Falo especificamente, duma cena num restaurante, em que é suposto a pessoa estar a jantar. No entanto, temos um senhor a olhar diretamente para as câmaras, a fingir claramente que come e a beber água de um copo vazio. Eu não sou propriamente a melhor pessoa a detetar coisas destas, mas ali…ali era demasiado notório.

Quanto à performance dos atores, não tenho grande coisa a apontar. Apesar de achar que o Matthew Law estava muito apagado para a personagem que tinha, a atriz que faz de sua companheira, Bresha Webb conta com uma prestação carismática, que deu a vida necessária ao casal, e ao resto do filme. Crystal Fox, como vítima, mostra uma atuação que transmite tudo aquilo pelo qual a personagem estaria a passar: vulnerabilidade, frustração, tristeza, dor. E com atores de renome como o próprio Tyler Perry, Cicely Tyson e Phylicia Rashad, não houve muita margem para erro.

Concluindo, é um filme que dá para passar o tempo apesar das falhas notórias quanto a aspetos que, normalmente, não deveriam ser problema. Mas lá está, para um filme que foi filmado em 5 dias, não está mau de todo.


Raquel Lopes
Outros críticos:
Nenhum autor votou nesta crítica.