Inscreve-te e tem vantagens!

Countdown(2019)

Há 25 dias | Terror, Thriller, | 1h30min

De Justin Dec, com Elizabeth Lail, Jordan Calloway, Talitha Eliana Bateman, Peter Facinelli


E se existisse uma aplicação que mostrasse o tempo que nos resta de vida? Este é o interessante conceito de Countdown, um filme de terror escrito e realizado por Justin Dec. A premissa foca-se em Quinn Harris (You– 2018-), uma jovem enfermeira, que através de uma app para smartphone descobre que irá morrer dentro de dois dias. Inicialmente mostra-se cética, até estranhos acontecimentos começarem a ocorrer à sua volta, levando-a a tentar decifrar a solução para impedir o seu trágico destino.

 

Confesso que as minhas expetativas já eram baixas, no máximo esperava a assistir a algo de cariz duvidoso, mas divertido como Truth or Dare (2018) com alguns elementos semelhantes aos da saga Final Destination (2000-2011) que considero como um dos meus maiores guilty pleasures. Contudo, durante uns longuíssimos 90 minutos não obtive nada mais do que tédio e uma vontade enorme de sair da sala de cinema.

 

Não sei por onde iniciar, mas praticamente tudo em Countdown é um erro. O argumento apesar de possuir uma ideia nutrida de grande potencial, sofre com uma execução totalmente preguiçosa e diversas vezes parecendo que foi escrito aleatoriamente por uma inteligência artificial. À exceção de um ou outro comic relief, não consegui observar nenhum ponto positivo, os diálogos são terríveis, as personagens possuem um desenvolvimento sofrível e a história é péssima.


Para complementar este festival de mau gosto, existe um elenco que me causou vergonha alheia, cujas acting skills parecem tão falsas como as das atrizes de filmes para adultos que tentam assegurar que são virgens enquanto recebem a visita do canalizador ou se escondem com o personal trainer no balneário do ginásio. Talvez a culpa não seja exclusivamente do elenco, mas sim também da deficiência observada nos diálogos, pois em determinados momentos até se nota algum esforço da parte de Quinn Harris, só que acaba por ser invalidada pelos problemas relativos às limitações de toda a produção.

 

Quanto a nível de terror, medo e de tensão, não esperem literalmente nada. As mortes poderiam ser engenhosas e criativas como em Final Destination, no entanto, nem nesse aspeto se mostrou capaz. A maioria das personagens “amaldiçoadas” morrem devido a quedas totalmente estúpidas, uma vez ou outra aparece um espírito concebido com um fraco CGI para nos (tentar) assustar e após meia hora de exibição torna-se possível adivinhar quando e onde surgirá um jump scare. Countdown possui o mérito de se estabelecer como uma das maiores tragédias de 2019 no cinema de terror e também se assume como um forte candidato a vencer os Guiness World Records na categoria de “filme de terror com sustos mais previsíveis”.

 

Poderíamos estar perante um resultado agradável se existisse empenho por parte da equipa que colaborou no seu desenvolvimento. Acredito que agrade a quem não esteja habituado ao género ou aqueles que desejam assistir a uma comédia parva entre amigos para darem algumas gargalhadas num sábado à noite. Mas para mim, é apenas uma exposição de mau gosto e de banalidades.


Pedro Quintão
Outros críticos:
Nenhum autor votou nesta crítica.