É bom ver Clooney fora do típico playboy cheio de charme.

É bom ver Clooney fora do típico playboy cheio de charme.

2009
Drama, Romance | 1h49min
de Jason Reitman, com George Clooney, Vera Farminga, Anna Kendrick, Jason Bateman, Amy Morton e J.K Simmons


Jason Reitman, um cineasta conhecido por ter realizado Juno (2007) – seriamente, quem nunca viu esse filme? – e é também o autor de Thank You for Smoking (2005) e do recente Tully, com a boa performance de Charlize Theron.

Up in the Air, o filme que vos trago hoje, foi nomeado em 6 categorias nos Óscares de 2010, das quais: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Ator (para George Clooney), Melhor Atriz Secundária (para Vera Farminga e Anna Kendrick) e Melhor Argumento Adaptado – vencendo um Golden Globe nesta última categoria, entre outros diversos prémios. Será Up in the Air tão merecedor quanto isso?

Primeiro que tudo, o que nos conta o filme?

Ryan Bingham (George Clooney) é um especialista na arte de despedir as pessoas para as empresas que o chamam e não querem dar a cara às vítimas. Relativamente feliz com a sua vida e com o seu trabalho, idealiza em continuar a viajar o resto da sua vida. Ryan é um colecionador compulsivo de milhas aéreas acumuladas durante as suas inúmeras viagens de negócios. Ama a vida feita de aeroportos, quartos de hotel de luxo e alugueres de carros. Está prestes a atingir um dos seus objetivos de vida: as 10 mil milhas. Não é o tipo de homem que ligue à vida de família, não pensa em casar, ter filhos, comprar uma casa - viver uma vida como os outros. Ao conhecer a Alex (Vera Farminga) e Natalie (Anna Kendrick), talvez a sua maneira de pensar mude. Talvez.

Despedir alguém é forte. Não ter a coragem de o fazer ainda é mais. George Clooney leva o seu papel com uma forte performance, que nos transmite todo o amor que tem pelo seu trabalho e a sua forma de vida. É completamente politicamente incorreto. Foge das responsabilidades da vida e vive apenas para o seu trabalho, que lhe permite avançar e talvez alcançar a sua coleção de milhas no seu cartão de fidelidade para a companhia aérea americana. É bom ver Clooney fora do típico playboy cheio de charme.

Vera Farminga também tem uma esplêndida atuação. Interpreta uma mulher forte e cheia de segredos que poderá fazer com que Ryan mude de atitude perante o mundo. Anna Kendrick brilha nas cenas onde despede as pessoas – consegue ser fria, não ter qualquer expressão facial. No entanto, vemos a segunda parte da sua personalidade, sendo uma rapariga sensível, que custa fazer o trabalho que faz.

Não achei a realização de Reitman sensacional. Nos primeiros 15 minutos, havia uma boa edição, rápida e com um estilo que me agradava. Infelizmente o filme caiu para o banal.

Up in the Air acaba por ser uma desilusão perante o que nos promete. A primeira hora é boa, apresenta todo o universo do filme de forma correta e o trabalho do protagonista de forma crua e realista. A segunda, bem, é muito menos interessante. O filme cai para um romance demasiado visto e revisto. Achei o final possivelmente previsível.

Aconselho o filme aos fãs de George Clooney – pois, apresenta uma personagem nova no seu currículo. De resto, se estiverem à espera de um grande filme, poderão ficar desiludidos. Acaba por ser um serão de domingo à tarde.


por Alexandre Costa