BlacKkKlansman é um filme a não perder. É um dos melhores deste ano.

BlacKkKlansman é um filme a não perder. É um dos melhores deste ano.

2018
Biografia, Comédia, Crime | 2h15min
de Spike Lee, com John David Washington, Adam Driver, Jasper Pääkkönen, Topher Grace, Ashlie Atkinson e Laura Harrier


Spike Lee, um realizador que tem e apresenta as suas ideologias em política nas suas diversas longas-metragens, como por exemplo em Malcolm X (1992) e Inside Man (2006). Quanto mais vejo os seus filmes, melhor consigo perceber a visão do cineasta. Posso afirmar com convicção que é um excelente realizador e que possui uma verdadeira mão artística. Sou fã das suas edições, da sua maneira de filmar uma conversa com n ângulos de câmara diferentes, para que possamos ver a cena com várias perspetivas e nos identificarmos às personagens com mais facilidade.

Aqui chega BlacKkKlansman, um filme baseado na incrível história verídica de Ron Stallworth, que tem sido falado pela positiva, pelo seu Grand Prix no festival de Cannes.

O que nos conta o filme?

No início dos anos ’70, no auge da luta pelos direitos civis, tumultos raciais irromperam nas grandes cidades dos Estados Unidos. Ron Stallworth (John David Washington) torna-se o primeiro polícia negro americano do Departamento de Polícia de Colorado Springs. A sua chegada é recebida com ceticismo, até mesmo por uma hostilidade total, pelos oficiais de baixa patente da delegacia. Stallworth é ambicioso e tentará mover as linhas e, talvez, deixar uma marca na história. Estabeleceu então uma missão das mais perigosas: infiltrar-se no Ku Klux Klan, para denunciar os abusos. Ao fazer passar-se por um extremista, Stallworth entra em contacto com um pequeno grupo e obtém um relacionamento especial com o “Grande Mago” da Klan, David Duke (Topher Grace), encantado com o compromisso de Ron, de ter uma América Branca. À medida que a investigação progride e se torna mais complexa, Flip Zimmerman (Adam Driver), polícia e colega de Stallworth, faz-se passar por Ron durante todas as reuniões com os membros (pois ele é branco) do grupo de supremacia e descobre que uma operação mortal prepara-se. Juntos, Stallworth e Zimmerman unem-se para neutralizar a Klan.

Em BkacKkKlansman, Ron Stallworth é um protagonista complexo, por quem sentimos uma empatia imediata. O jovem polícia negro está constantemente a trabalhar sob pressão. Além do trabalho, tem de resistir às bocas exercidas por alguns colegas de trabalho, abertamente racistas. Contudo, é a sua força. A sua arma secreta é o improviso.

Muito bem ritmado, o filme consegue alternar os momentos de grande comédia com elementos mais dramáticos – o que nos permite seguir as personagens e a trama principal sem sentirmos tempos mortos.

Ron Stallworth tem um papel muito importante nas cenas que se passam ao telefone com o grande Mago e Flip Zimmerman faz-se passar pelo Ron nas cenas ao vivo. Por outras palavras, um negro e um branco assumem a mesma pessoa, é hilariante.

O filme assume-se, sem dúvida, como uma comédia negra. Sarcástico, embaraçoso e recheado de humor negro, ajuda-nos a seguir uma situação muito grave repleta de racismo. Spike Lee conecta os anos de luta negra americana à América de Donald Trump e ao movimento Black Lives Matter, que ainda nos dias de hoje, luta contra grupos neonazis.

A realização é de louvar. Spike Lee está no auge do seu estilo. Sequências de diálogo com vários cortes e planos dinâmicos, cujo nos ajude a perceber a perspetiva e visão de cada personagem em tela. O filme ainda contém montes de mensagens que não vou contar, para não vos estragar as várias reviravoltas e situações de grande comédia.

A banda sonora é uma pura felicidade para os ouvidos. É verdadeiramente soberba. Vale a pena investigarem após o desfecho do vosso serão.

BlacKkKlansman é um filme a não perder. É um dos melhores deste ano.


por Alexandre Costa