Inscreve-te e tem vantagens!

Black Panther(2018)

Há 2 anos | Aventura, Ação, Fantasia, | 2h14min

de Ryan Coogler, com Chadwick Boseman, Michael B. Jordan, Danai Gurira, Forest Whitaker, Daniel Kaluuya, Andy Serkis e Martin Freeman


Na antecipação do grande Avengers: Infinity War, o universo cinematográfico da Marvel lança-nos uma nova aventura a solo, Black Panther. Para quem não esteja familiarizado, juntou-se como aliado ao Capitão América, em Captain America: Civil War (2016).

O que nos conta o filme?

Após os acontecimentos ocorridos em Captain America: Civil War (2016), T’Challa (Chawick Boseman) regressa para a sua terra, para poder ocupar o lugar no trono de Wakanda, uma nação africana tecnologicamente avançada. Com a chegada de um antigo inimigo, a coragem de T’Challa é testada, tanto no seu papel de rei como de Black Panther. Entre um rei em aprendizagem e um fato ultra sofisticado e agressivo, esta nova personagem é totalmente inédita num filme solo na cultura pop de super-heróis hoje em dia. Ele é de raça negra e de origem africana. A Marvel conseguiu o seu desafio? Sim, e de que maneira.

O realizador, Ryan Coogler, conta com Fruitvale Station (2013) e Creed (2015) (ambos protagonizados por Michael B. Jordan) no seu repertório. No primeiro, produziu um trabalho com simbolismo na luta da comunidade negra nos Estados Unidos e, no segundo, reinventou a saga Rocky (1976-2006) atribuindo-lhe modernismo e combates em planos sequências deveras interessantes.

Black Panther destaca-se de tudo o que o MCU (Marvel Cinematic Universe) propôs até agora. O filme tende em manter a audiência sobre a conceção política do herói, abordando noções de herança e iniciação. T’Challa tem que substituir o pai no trono e reinar sob Wakanda.  Não é um filme de super-heróis cliché, onde o antagonista quer destruir o mundo. Nem tudo está nas mãos do seu protagonista, os personagens secundários têm um verdadeiro impacto na narrativa, cada um com as suas ideologias e características diferentes. É um grande sentimento de novidade.



Adorei os cenários do filme, longe dos habituais ambientes urbanos, dos prédios em New York a caírem e explosões por todo o lado. Aqui, encontram-se maioritariamente planos em ambientes mais arejados, em plena África, que vão desde grandes planícies até canyonsgigantes e visualmente bem conseguidos. O filme é artisticamente um sucesso. As misturas entre a natureza exuberante e instalações tecnológicas são bem construídas. Assim como as cores brilhantes dos vestuários que identificam cada povo ou tribo.


O filme tem vários pontos positivos, dos quais destaco principalmente os seus personagens. O elenco é carismático, impressionante e pontente. Chadwick Boseman interpreta um verdadeiro herói, que ama o seu povo e que não precisa de demonstrar a sua coragem perante os outros. Dani Gurira é uma guerreira malvada, num registo totalmente diferente da sua personagem Michonne em The Walking Dead (2010-). Forrest Whitaker, fiel a si mesmo. Martin Freeman e Andy Serkis (os únicos brancos do filme) trazem um contraste inteligente, dando um toque de comédia e ferocidade em momentos importantes. Comédia esta que é perfeitamente equilibrada, dentro de um filme com um tom sério. Destaco a irmã de T'Challa, Shuri (Letita Wright), que me fez rir às gargalhadas.

Na minha opinião, a grande figura do filme é Michael B. Jordan. O MCU entregano-nos um antagonista minimamente complexo e legítimo desde a sua criação. Como já referi acima, não tem o objetivo de destruir o mundo. Tem motivações bem construídas.

A realização é interessante, temos variedade. Diversos planos sequências, combates violentos, com coreografias dignas de um verdadeiro filme deste género. A fotografia é outro ponto forte da longa. Para a felicidade dos nossos olhos, vemos cores quentes durante o dia, como no pôr-do-sol, e cores com tons azulados e roxos de noite. As cenas de “sonho” são bem conseguidas visualmente.

A banda sonora brinca entre um equilíbrio hip-hop/rap e músicas africanas “tradicionais” (algumas ao estilo de The Lion King (1994)), ajuda-nos a entrar na atmosfera geral do filme. Kendrick Lamar compôs o álbum musical para o filme.

Black Panther é uma agradável surpresa da Marvel. Tem um objetivo cinematográfico e não só ser um simples entretenimento. Penso que seja dos melhores deste universo. Aconselho irem ver o filme ao cinema.


Alexandre Costa
Outros críticos:
 Pedro Horta:   8
 Sara Ló:   7
 André Azevedo:   8
 Rafael Félix:   6
 Pedro Quintão:   8
 Filipe Lourenço:   8
 Raquel Lopes:   7
 Rafaela Boita:   8