Inscreve-te e tem vantagens!

Jexi(2019)

Há 29 dias | Comédia, | 1h24min

de Jon Lucas e Scott Moore, com Adam Devine, Alexandra Shipp e Rose Byrne


A tecnologia veio facilitar bastante a nossa vida, mas é algo que pode tornar-se numa dependência se não for utilizada moderadamente. O que Jexi procura mostrar do começo ao fim é justamente isto. Por vezes, abusa no óbvio da mensagem e isso tira-lhe pontos positivos.

Desde pequeno que Phil (Adam Devine) – o nosso protagonista – foi habituado pelos pais a distrair-se e isolar-se com o telemóvel. Funcionava sempre como um escape à realidade. Tornou-se num hábito tão grande que chegou a adulto sem ter qualquer conexão humana real. Vivia das aparências e completamente dependente do telemóvel para fazer tudo. O conflito ocorre quando compra um novo telemóvel que vem com a Jexi, uma inteligência artificial criada para melhorar a vida do proprietário do dispositivo móvel. Quando esta começa a dialogar com Phil e a tomar decisões por si própria, a vida do jovem fica um caos. 

O argumento não é cativante e torna-se repetitivo. Confesso que estava à espera de uma comédia mais inteligente e eficaz. Tratando-se de um filme que quer falar sobre conexões humanas, devia ter-se preocupado mais em criá-las e torná-las realistas. A verdade é que parece tudo muito fácil e rápido. Não há aquelas transições necessárias que nos fazem torcer mais pelo personagem.

Adam Devine tem a performance que já conhecemos de muitos outros filmes de comédia em que participou. Para quem é fã do ator, vai com certeza aproveitar este filme, porque é a personagem dele que tem a maior duração no ecrã. Entramos na intimidade de Phil e conhecemos um pouco das suas rotinas.

A longa-metragem tem poucos ambientes. Aproveita-se de alguns espaços exteriores, mas não são a maioria. Isto acaba por mostrar o isolamento da personagem. Esta ligação entre forma e conteúdo podia ter sido ainda mais explorada.

Jexi é um filme acomodado, igual a tantos outros do género. Procura uma comédia fácil e pouco efetiva. No entanto, transmite uma mensagem ideal para a atualidade. 


Rafaela Teixeira
Outros críticos:
Nenhum autor votou nesta crítica.