A série, à semelhança da banda desenhada, é muito mais que apenas ação.

A série, à semelhança da banda desenhada, é muito mais que apenas ação.

2010-
Terror, Thriller, Drama | 44min
de Robert Kirkman, com Andrew Lincoln, Norman Reedus, Steven Yeun, Lauren Cohan, Chandler Riggs e Melissa McBride


Adaptada da banda desenhada de Robert Kirkman surge The Walking Dead. Uma série situada num mundo pós-apocalíptico onde todos os sobreviventes de uma, provável, praga terão de sobreviver até ao fim dos seus dias num planeta caótico populado por zombies.

The Walking Dead, que estreou em 2010, ao leme não só do autor Robert Kirkman, como também de Frank Darabont – o realizador de uma das maiores obras de arte da história: Shawshank Redemption (1994) –, poderia ter sido só mais uma série de fraca qualidade sobre um mundo cheio de mortos-vivos não fosse a excelente imaginação de Kirkman. Kirkman lançou a primeira banda desenhada da obra em 2003 e, hoje, 14 anos depois continua a escrever novas edições. A história simplesmente não acaba (o que, devo confessar, não é mau de todo).

A série, à semelhança da banda desenhada, é muito mais que apenas ação. Tem todo um drama que paira naquele universo que nos faz agarrar The Walking Dead e não deixar mais ir.

Os fãs mais fiéis preferem a banda desenhada à série por uma simples razão: não há limites. Na banda desenhada, o universo de TWD (sigla para The Walking Dead) é muito mais cruel, muito mais frio. Já na série, e devido a mil e uma questões burocráticas, o universo é ligeiramente mais politicamente correto do que deveria ser. A série pertence à AMC que, ainda que uma produtora que arrisca, não permite tudo o que é necessário para que TWD se aproxime da obra original. TWD pertencendo a uma produtora como a HBO (por exemplo) faria muito mais sucesso.

Dando apenas um exemplo: A série raramente tem calão ou palavreado obsceno; já na banda desenhada temos personagens que são feitas disso mesmo. Ora, na série, essas personagens não têm tanto impacto.

Agora, perguntam-se: Mas se já há uma banda desenhada, não corro o risco de ter spoilers de momentos da história? Sim e não. Sim, porque em certos momentos a série é fiel ao original. Não, porque se há algo que quem vê TWD tem ciente na sua cabeça é que a série consegue ser bastante imprevisível e diferente da banda desenhada. Há personagens que sobreviveram até agora na banda desenhada e já não estão na série, por exemplo. Por exemplo, temos o caso de Daryl Dixon, interpretado por Norman Reedus, que não existe na banda desenhada e é um dos protagonistas da série.

The Walking Dead é uma série que agarra a audiência e que explora a crueldade humana num mundo onde já não há regras ou leis. É uma série que abandona os escrúpulos das personagens e os obriga a sobreviver. Mas, sobretudo, é uma série onde ninguém está seguro. É regra (ainda que impossível) não nos agarrarmos a nenhuma personagem. É simplesmente mais seguro para o nosso coração.

É uma série, na minha sincera opinião, muito boa mas que poderá ferir os que estão apenas lá para o hype porque tem momentos (e não são poucos) de grandes pausas na ação onde a trama passa do físico para o psicológico. Se não viu, veja. Recomendo inteiramente.


por Pedro Horta