Inscreve-te e tem vantagens!

Marriage Story(2019)

Há 2 meses | Comédia, Drama, Romance, | 2h16min

de Noah Baumbach, com Scarlett Johanson, Adam Driver, Laura Dern e Ray Liotta


Tirando inspiração do seu próprio divórcio de Jennifer Jason Leigh em 2010, Noah Baumbach sucede The Meyerowitz Stories (2017) com um drama penosamente genuíno com este Marriage Story, lançado na Netflix depois de uma distribuição limitada em alguns países e um imenso louvor em todos os festivais onde esteve presente.

Esta história de amor começa no seu fim, com Nicole (Scarlett Johanson) e Charlie (Adam Driver), sentados para uma sessão terapêutica de preparação para o processo de divórcio, em que a tensão é palpável. Inicialmente os dois decidem fazer tudo a bem, sem advogados, mas quando Nora (Laura Dern), uma advogada de divórcios é apresentada a Nicole e a começa a representar, começa uma batalha legal e emocional que se espera feia, com uma vítima no seu núcleo: Henry, o filho de 8 anos.

Há um momento do filme, numa altura em que Charlie está à procura de representação legal e consulta Dan Cohen, um advogado escrupuloso interpretado na perfeição por Ray Liotta, em que este lhe diz: “os advogados criminais fazem ver o bem nas pessoas más, enquanto os advogados de divórcio veem o mal nas boas pessoas”.

E é esta frase que envolve todo o filme.

Se ainda houvesse amor, ou respeito, rapidamente este tipo de processo legal acaba por infetar cada célula daquilo que um dia foi uma ligação emocional única, deixando apenas raiva, rancor e vítimas colaterais, que por norma pouca idade têm para perceber o porquê de os pais se odiarem tanto. E isso é captado na perfeição de várias formas. Uma delas é através do imaculado guião de Baumbach, que mistura impecavelmente momentos de leviandade humorística, algum carinho e momentos ternos entre o (ex) casal e o filho, com momentos explosivos de ódio e palavras cortantes que podiam dar agonia a uma pedra da calçada.

No entanto, as diferenças profundas entre os dois vão se acentuando com o passar do filme, à medida que as personagens se vão descobrindo a elas mesmas numa dicotomia muito interessante. Nicole quer a solarenga Califórnia enquanto Charlie prefere o caos Nova-Iorquino; um quer o expressionismo do teatro, o outro a visibilidade da televisão, etc, etc.

Deixa a pergunta: se estas discordâncias tão relevantes sempre lá estiveram, até que ponto as cedências que fazemos pelos nossos não matam o nosso próprio ser? Será que o casamento é a perda do “eu” a favor do “nós”? Neste caso, sim, e os resultados ficam à vista.

Mas o elemento fundamental que eleva Marriage Story a um patamar diferente são mesmo as duas performances absolutamente incríveis dos seus intervenientes. Adam Driver e Scarlett Johanson têm aqui os seus melhores trabalhos das respetivas carreiras, com interpretações cheias de emoção e pequenos gestos que contam por si só o que outrora foi uma história de amor, expressada em takes longos e simples que deixam cada um deles exprimir tudo o que lhes vai na alma.

Marriage Story não premeia necessariamente o drama mais agressivo deste casal, por norma tem a inteligência de ser recatado e deixá-los partilhar o ecrã de forma, que sim, é tensa, mas também é maioritariamente respeitosa, ficando toda a hostilidade para as reuniões legais. Mas quando a bolha eventualmente rebenta (é um filme sobre um divórcio, não me parece um spoiler dizer que eventualmente irá haver uma discussão) e as duas personagens entram num duelo horripilante em que esgrimem os mais humilhantes insultos é possível finalmente perceber o quanto a tal perda de identidade e o ressentimento acabam por apodrecer o que outrora foi um casamento perfeito. É uma reflexão pessoal que Noah Baumbach faz sobre a sua relação, e acho que se não viesse de um espaço tão íntimo, dificilmente esta cena teria sido tão horrivelmente bem-feita como acabou por ser.

Voltamos sempre à frase de Ray Liotta. O divórcio traz o pior das pessoas, e dificilmente Baumbach podia ter feito um melhor trabalho ao trazer este retrato tão real para a tela. É imparcial e genuíno e é só isso que se podia pedir. Muito competente atrás da câmara e brilhante à frente, Marriage Story é sem dúvida um dos melhores filmes do ano, e talvez o melhor guião que 2019 ofereceu, e isto num ano tão recheado, não é nada fácil. 


Rafael Félix
Outros críticos:
 Alexandre Costa:   10
 Raquel Lopes:   9
 Pedro Horta:   9
 Margarida Nabais:   9
 Bernardo Freire:   10
 Rafaela Boita:   9